17/07/2014

Valpaços Futsal ainda não resolveu a sua situação

O campeão do Distrital de Futsal Sénior Masculino da Associação de Futebol de Vila Real, o Valpaços Futsal, tem a participação na II Divisão Nacional comprometida. A situação directiva não foi resolvida, continuando o clube sem uma nova direção, depois da anterior direção ter manifestado o desejo em deixar o clube.
Na página do facebook de Carlos Nogueira, treinador, e de Susete Nogueira, presidente do clube nas duas últimas épocas, é manifestado o desagrado com a situação do clube valpacense.
“É com enorme tristeza que vimos que a dois anos de muito trabalho e dedicação ao VFC não vai ser dada continuidade. Esperamos que ainda haja pessoas que queiram gastar um pouco do seu tempo em prol dos outros, e não deixem acabar o clube, já que não vai participar na II Divisão com a equipa sénior, que participe na distrital, bem como os juniores e a escolinha futsal, que o clube se mantenha vivo”, pode ler-se.

Diogo Caldas
Fontes: http://diarioatual.com/?p=170092&ec3_listing=disable

Carta de compromissos é grito de alerta de Trás-os-Montes e Alto Douro

A carta de compromissos assinada no sábado para unir nove intuições na luta pelo desenvolvimento de Trás-os-Montes e Alto Douro e é também um "grito de alerta" contra os problemas que afetam este interior do país.


A cerimónia de assinatura desta carta, em Vila Real, vai contar com a presença do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho.
O documento contempla quatro compromissos e vai unir a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) e os institutos politécnicos de Bragança e Viseu, as comunidades intermunicipais deste território, Alto Tâmega, Douro e Terras de Trás-os-Montes, e as associações empresariais (ACISAT, NERVIR e NERBA)
O professor da UTAD, Artur Cristóvão, afirmou hoje à agência Lusa que esta carta pretende ser um ponto de partida para um trabalho em rede em prol da região e para combater o declínio, nomeadamente demográfico, que há muito tempo a afeta.
Há também, neste momento, outros sinais negativos que pairam sobre a região e que estão a causar preocupações, como o encerramento de serviços públicos ou a possível introdução de portagens na autoestrada que liga Vila Real a Bragança.
"De alguma forma esta carta também é um grito de alerta para todo este conjunto de aspetos negativos que estão a penalizar de forma muito particular o interior. Temos a noção de que não vamos fazer milagres mas temos uma responsabilidade de assinalar os problemas, de nos envolvermos coletivamente e de mobilizarmos outros agentes, de procurarmos com espírito criativo ultrapassarmos os obstáculos que possam ser ultrapassáveis", afirmou o docente.

Artur Cristóvão fez questão de sublinhar que "a carta não é contra este ou outros governos".

"A nossa preocupação é de congregarmos esforços, de unirmos a região e de procurarmos com criatividade e inovação, ultrapassar os problemas", salientou.
O primeiro dos quatro compromissos é precisamente um trabalho conjunto entre todos os signatários já que, segundo o responsável, a falta de articulação entre os agentes locais tem sido "uma das fortes limitações ao desenvolvimento".

Depois, as nove instituições comprometem-se a construir um programa de desenvolvimento, que poderá incidir em áreas consideradas como prioritárias, como o apoio às empresas, a internacionalização da economia local, a valorização dos recursos endógenos, a busca de novas atividades que possam criar emprego e riqueza e a qualificação.
O terceiro compromisso vai no sentido de se criar um enquadramento institucional do programa, nomeadamente através de uma comissão de acompanhamento e um grupo operativo e, por fim, pretende-se alargar esta dinâmica a outros atores do território, bem como a criação de um fórum regional.
Por outro lado, e como contrapartida, os signatários exigem "que o Governo acredite na região e nos seus agentes e se comprometa a investir e a apoiar um programa desta natureza".
Artur Cristóvão referiu que também compete ao Governo "comprometer-se perante a região" para que se inverta o declínio.
"O que pretendemos é mobilizar as políticas públicas e os fundos existentes, nomeadamente nos programas operacionais, regionais, temáticos e de cooperação transfronteiriça ou em outros instrumentos de financiamento que possam existir a nível europeu", frisou.

Fonte: http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=752008&tm=6&layout=121&visual=49

Associações ibéricas apelam à suspensão das três barragens do Alto Tâmega

Associações ibéricas apelaram hoje ao Governo português para que suspenda a construção das três barragens da Alto Tâmega, considerando que é um empreendimento "inútil e prejudicial" para a economia local e o ambiente, nomeadamente o lobo ibérico.


Esta oposição ao Sistema Eletroprodutor do Tâmega (SET) une a Quercus, o Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente (GEOTA), a Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA), a Coordenadora de Afetados pelas Grandes Barragens e Transvases (COAGRET) e a associação espanhola Ecologistas en Acción.
Decorreu na sexta-feira, em Vila Pouca de Aguiar, a sessão de lançamento dos trabalhos de implantação do SET, que inclui as barragens de Gouvães, Alto Tâmega e Daivões e foi concessionado à espanhola Iberdrola.
Segundo a Iberdrola, este empreendimento representa um investimento de 1.200 milhões de euros nas três barragens e pode traduzir-se na criação de 13.500 postos de trabalho.
As associações afirmaram, em comunicado, que este empreendimento é "inútil, extremamente caro, prejudicial para o desenvolvimento local, com impactes sociais e ambientais gravosos", frisando ainda que é uma "obra fatal para o lobo ibérico".
Para os signatários, a cascata do Tâmega é um "projeto megalómano", que representa apenas 0,1% da energia nacional quando o país já tem excesso de capacidade instalada, e que "criará um encargo para os consumidores e contribuintes de 1000 euros por família".
"Os comunicados oficiais sobrestimam grosseiramente os postos de trabalho associados à construção da barragem. A destruição de postos de trabalho na agricultura e turismo terá um balanço global negativo e permanente", acrescentaram ainda.
As associações alertaram para a destruição do "valor do Tâmega como polo turístico associado aos desportos aquáticos" e de um "ecossistema raro e sensível, ameaçando múltiplas espécies protegidas", considerando que vai fragmentar e degradar a bacia do rio Tâmega e criar barreiras incontornáveis para espécies migratórias.
Os ambientalistas lembraram que foram feitas queixas à Comissão Europeia que "ainda não foram respondidas" e acusaram o Estado português de ter incorrido "em violação grave de várias diretivas europeias e da legislação nacional.
"Este início de obra vem confirmar que os interesses das grandes companhias energéticas se sobrepõem aos interesses da conservação da natureza e das comunidades locais e que o seu poder predador do ambiente consegue suplantar a lei nacional", acrescentaram.
Segundo a Iberdrola, as obras das três barragens arrancam em 2015 e deverão estar concluídas em 2023.

O maior volume de trabalhos decorrerá entre 2018 e 2020.
Até ao final deste ano serão feitos os acessos para preparar o arranque dos trabalhos.

PLI // MSP
Lusa/Fim

10/07/2014

GNR deteve nove indivíduos durante actividade operacional

Na zona de acção do Comando Territorial de Vila Real que engloba os concelhos de Vila Real, Vila Pouca de Aguiar, Ribeira de Pena, Murça, Mondim de Basto, Chaves, Valpaços, Montalegre, Boticas, Peso da Régua, Alijó, Santa Marta de Penaguião, Mesão Frio e Sabrosa, a GNR deteve, durante a actividade operacional desenvolvida durante o período de 30 de Junho a 6 de Julho, 9 indivíduos: cinco por condução sob o efeito de álcool; dois por condução sem habilitação legal; e dois por mandado de detenção.
A GNR registou ainda 283 Autos elaborados pelas seguintes infrações: 275 à Legislação Rodoviária e oito à Legislação Policial.
No mesmo período de actividade operacional levada a cabo pela GNR foram, ainda, registados 24 acidentes de viação, dos quais resultaram dois feridos graves e cinco feridos leves e um acidente de trabalho do qual resultou um ferido grave.

Fontes: http://diarioatual.com/?p=169709

Concentração motard junta uma centena em Valpaços


De sexta-feira a domingo passado, de 20 a 22 de Junho, foram dias de concentração motard em Valpaços e o evento trouxe movimento à cidade. Valpaços não fica de fora do calendário das concentrações dos amantes dos veículos de duas rodas. O Moto Club “Os Valpacenses” já prepara a iniciativa há vários anos e o local escolhido da concentração foi a Escola Secundária de Valpaços, para onde acorreram dezenas de motards de vários pontos do país. Na sexta-feira começaram a chegar e a fazer-se notar os primeiros motards, havendo música no recinto da instituição de ensino valpacense. Como é habitual, não podiam faltar os shows de velocidade e acrobacias, tal como os famosos strips femininos. O fim-de-semana foi, sobretudo, de passeios pelo concelho e muito convívio. As condições atmosféricas não foram as melhores, o que impediu a vinda de muitos mais motards à concentração, mas a tradição cumpriu-se e com o passeio nocturno de sábado a passar pelas principais artérias da cidade.

X Maratona de Futsal - Valpaços

Santa Bárbara e São Nicolau 2014 - Carrazedo de Montenegro

03/07/2014

Blogue Notícias de Valpaços - 300.000 visitantes

Visitantes

Obrigado pela visita!!

Futsal : Carrazedo e Casa Benfica Vila Pouca mudam de treinador

Equipas que desceram da III Divisão Nacional trocam de técnicos para o regresso aos campeonatos distritais. Cimo Vila Castanheira também tem novo treinador.

Álvaro Santos não continua no Carrazedo Montenegro, depois de uma temporada na III Divisão Nacional, Série A, com um sexto lugar final. Em ano de remodelação dos campeonatos nacionais, apenas três equipas subiram de divisão, e as restantes foram despromovidas, incluindo o Carrazedo e a Casa Benfica Vila Pouca.
Já está encontrado o sucessor para a equipa da Capital da Castanha. Nuno Perdigão regressa a uma casa que bem conhece. Em 2012/2013, liderou a estreia do Carrazedo no nacional de futsal, conseguindo a manutenção, com um 7º lugar.
Depois de uma aventura em França, onde trabalhou no Sporting Clube de Paris, regressa a Portugal e ao Carrazedo Montenegro, onde irá assumir, além dos seniores, a equipa de juniores.

Crónica de uma morte anunciada

É este o título roubado à notável novela de Gabriel Gárcia Márquez, recentemente falecido. “No dia em que iam matá-lo…”, assim começa a história informando-nos desde o princípio sobre o que se vai passar, mas mantendo nos apaixonados na leitura até à última palavra.
Quando na Assembleia Municipal extraordinária sobre saúde, realizada em 12 de Março de 2014, foi aprovado por unanimidade, a realização de uma Convenção de todos os autarcas do Alto Tâmega, pela defesa do Serviço Nacional de Saúde (SNS), universal e tendencialmente gratuito na nossa região, fiquei à espera para ver, como é que os autarcas do PSD “descalçavam a bota”.
Que bonito era colocar a nossa região no mapa, juntando os membros da Assembleia da mais remota freguesia, aos vereadores e presidentes de Câmara e a todos os membros das Assembleias Municipais. Muitas centenas de eleitos, com convidados especiais, como os Bastonários da Ordem dos Médicos e dos Enfermeiros, os dirigentes dos Sindicatos Médicos e dos Enfermeiros, António Arnaut, “pai do SNS”, etc., etc., etc…
Todos juntos a defender o SNS, próximo e com qualidade. A defender o reforço e qualificação da nossa Unidade Hospitalar. A defender a resolução da Assembleia da República para a criação da Unidade Local de Saúde do Alto Tâmega, aprovada por unanimidade em 2011.